Dow na Ilha de Matarandiba

As operações da Dow na Ilha de Matarandiba

A Ilha de Matarandiba pertence ao município de Vera Cruz, na Bahia, local onde a Dow realiza a atividade de extração de sal-gema desde a concessão do direito minerário em 1974, bem como com a devida licença ambiental emitida pelo órgão competente (Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos – INEMA), atualmente vigentes e que respaldam a regularidade das operações na região. O produto extraído da Ilha de Matarandiba, denominado salmoura, é transferido por meio de um salmouroduto até a Unidade de Aratu, no Município de Candeias/BA, onde é utilizado como matéria-prima para produção de cloro e soda cáustica – dois elementos indispensáveis para diversos setores econômicos, a exemplo da indústria farmacêutica, higiene, papel e celulose, alumínio, entre outros.

Na Ilha, encontra-se também a Vila de Matarandiba, formada por uma comunidade com cerca de 900 habitantes que se dedicam à pesca artesanal, à preservação das manifestações culturais e aos empreendimentos solidários. Na Ilha, assim como em todas as localidades onde atua, a Dow é a principal parceira de projetos socioeconômicos e culturais, bem como geradora de empregos na localidade.

Em 2018, durante uma atividade rotineira de manutenção, terceirizados da Dow na ilha de Matarandiba identificaram um afundamento do solo em uma área remota e de mata fechada da ilha. Tratava-se de um vazio de superfície, fenômeno geológico que se caracteriza por um vazio subterrâneo. Seguindo sua política de transparência e segurança, a Dow comunicou, de forma imediata, as autoridades e a comunidade e, diligentemente, adotou uma série de medidas para acompanhamento do tema e garantia de segurança aos seus funcionários, bem como à comunidade local, tais como: monitoramento por meio da utilização de drones e câmera de vídeo sobre a área de forma ininterrupta; instalação de barreira física (cerca) no perímetro da ocorrência; e reuniões periódicas com a comunidade esclarecendo dúvidas e alertando sobre o perigo de aproximar-se do local. A empresa também disponibilizou um número de WhatsApp (71 99916-2557), estabelecendo um canal aberto e direto com a empresa.

Em continuidade às medidas para garantia da segurança da região – preocupação primordial da companhia – ao longo dos últimos três anos, a Dow providenciou a elaboração de estudos técnicos complementares visando identificar a causa da formação do vazio de superfície, com investimento em torno de R$ 20 milhões em estudos, tecnologias de monitoramento em tempo real e outras medidas preventivas, comprovando o compromisso da empresa com a segurança da comunidade, de seus funcionários e de suas atividades no local. Os resultados demonstram que a Vila de Matarandiba segura, assim como a atual área de exploração de sal-gema da Dow e o acesso à ilha.

A descoberta do vazio de superfície e a atuação da Dow
Entenda o surgimento do vazio de superfície identificado pela companhia na Ilha de Matarandiba e conheça as principais ações e medidas tomadas pela Dow.
group of children
Cenário em Matarandiba

A Ilha de Matarandiba faz parte do conjunto de ilhas da Baía de Todos os Santos e pertence ao município de Vera Cruz. Na Ilha encontra-se a Vila de Matarandiba, uma comunidade de aproximadamente 900 habitantes que se dedicam a atividades tradicionais, como a pesca e a mariscagem artesanais

surveillance monitors
Ações da Dow

Desde a descoberta do vazio de superfície, a Dow, de forma diligente e proativa, investiu mais de R$ 20 milhões em estudos, tecnologias de monitoramento em tempo real e outras medidas preventivas, confirmando o compromisso da empresa com a segurança da Comunidade, de seus funcionários e de suas atividades na Ilha de Matarandiba

aerial view
As atividades da Dow na Bahia e no Brasil

Presente na Bahia há mais de 40 anos, a Dow opera no estado o único Complexo Industrial na América Latina capaz de produzir óxido de propeno e propileno glicóis. A operação de sal-gema, na Ilha de Matarandiba, está interligada à fábrica de Aratu, formando um complexo com três unidades operacionais. Atualmente a companhia gera na localidade cerca de 1.000 empregos diretos e indiretos.